EFRAIM (PESSOA)

 

No hebraico, a palavra significa «frutífero». Efraim era o filho menor de José, mas, quando Jacó abençoou os dois irmãos, ele teve precedência sobre seu irmão mais velho, Manassés(Gn 41:52; 48:1). Essa bênção foi um ato de adoção, mediante o qual Efraim e Manassés passaram a ser contados como filhos de Jacó, em lugar de seu pai, José. O objetivo do ato foi dar a José, através de seus filhos, uma dupla porção das bênçãos divinas que acompanhariam as doze tribos de Israel.

 

A mãe de Manassés e Efraim era Asenate, filha de Potífera, sacerdote de Om(Gn 41:50-52). Esse é um fato interessante, porquanto injeta em Israel, em sua herança genética, o sangue egípcio, isto é, camita. Aliás, esse não foi um caso isolado, pois as duas concubinas de Jacó, Bila e Zilpa, eram egípcias e elas foram mães de quatro dos filhos de Jacó: , Naftali (de Bila) Gade e Aser (de Zilpa). Se adicionarmos a isso os filhos de José, Manassés e Efraim, então teremos um total de seis, dentre os doze patriarcas ou cabeças de tribos, em Israel, que tinham cinquenta por cento de sangue camita. E o processo de miscigenação em Israel continuou, conforme todo leitor atento do Antigo Testamento facilmente percebe. No entanto, diferente da opinião prevalecente entre os modernos rabinos judeus, a linhagem e a herança racial eram concebidas através do pai e não da mãe. Se prevalecesse o parecer rabino naquelas primeiras gerações, então nada menos de seis tribos de Israel estariam excluídas dentre o povo, logo de saída e Davi não poderia ter sido o segundo rei de Israel, pois Rute, sua bisavó, era moabita, e não israelita. Mas, para Deus, o que vale não é a pureza racial e, sim, o temor ao Senhor. Por isso mesmo, na genealogia do Senhor Jesus temos até o caso da cananéia Raabe, — que, além de ter sido uma estrangeira, foi uma prostituta, antes de converter-se a Deus. O que importa não é a descendência física, mas a espiritual.

 

Efraim nasceu durante os sete anos de abundância, no Egito, pelo que a sua vida cobriu tanto o começo desse período como todo o período de escassez, até o fim de sua adolescência. Foi assim que ele ficou sujeito às influências do modo de viver patriarcal de Israel, bem como às promessas e bênçãos que provinham diretamente de Jacó. A natureza dessa bênção, sem dúvida, estava ligada ao fato de que José era filho da esposa favorita de Jacó, Raquel, pelo que ele ansiava por ver essa linhagem prosperar. Mas, além disso, podemos perceber a mão providencial de Deus, pois José foi um servo fiel ao Senhor como poucos. Além de pedir a José que, ao morrer, fosse sepultado em Canaã (Gn 47:27-31), Jacó tinha a firme certeza de que as gerações futuras experimen­tariam o cumprimento das promessas divinas e haveriam de possuir a Terra Prometida.

 

Bibliografia J. M. Bentes